Saúde e Bem-Estar

Baixa imunidade e saúde bucal: Entenda a relação

Planos e convênios odontológicos

Baixa imunidade e saúde bucal: Entenda a relação.

A imunidade se relaciona diretamente com a proteção do organismo e apresenta diversos sinais quando não está equilibrada. Mas, o que às vezes pode passar despercebido, é que a baixa imunidade e saúde bucal são ainda mais relacionadas, demonstrando os primeiros vestígios de que algo não está certo.

Isso ocorre porque a boca é a principal porta de acesso para microrganismos, vírus e bactérias. Assim, quando a imunidade está baixa, corre-se o risco de que as substâncias já presentes na boca, bem como aquelas oriundas do ar e do ambiente se proliferem e afetem a saúde do corpo e da boca.

Dentre os problemas que podem surgir estão patologias como: aftas, estomatite, amigdalites, mononucleose, herpes e inflamações periodontais. Contudo, além das inflamações e feridas que podem ocorrer na cavidade bucal, sintomas como dor, febre, salivação em excesso e sangramentos também podem ocorrer, indicando a fragilidade do corpo.

Para isso, recorrer aos atendimentos profissionais pode ser um grande diferencial para identificar e conter a origem das patologias, assim como para realizar os tratamentos de prevenção e acompanhamento de forma adequada.

Nesse sentido, os serviços de convênios odontológicos se mostram como um grande diferencial nos tratamentos, ao possibilitar a marcação de consultas e tratamentos de maneira mais frequente. Essa necessidade ocorre porque a cavidade oral por si só já é um ambiente que facilita a proliferação de bactérias, demanda tempo e atenção para que as cicatrizações ocorram de modo adequado.

Afinal, a cavidade oral se trata de uma parte do corpo úmida e que tem contato com outras substâncias constantemente – inclusive os próprios alimentos.

Efeitos e origens da baixa imunidade

Na prática, o sistema imune é formado por diversas células que atuam na defesa do organismo contra agentes que podem ser de risco. Ou seja, elementos infecciosos.

Quando a imunidade baixa, diversos sintomas e patologias podem surgir/se manifestar, como:

  • Problemas respiratórios;
  • Infecções constantes;
  • Cansaço excessivo;
  • Vômitos;
  • Diarreia;
  • Náuseas;
  • Febre e calafrios;
  • Queda de cabelo;
  • Unha quebradiça;
  • Gripes;
  • Herpes;
  • Mudança de peso;
  • Meningite ou encefalite;
Predisposição a machucados e ressecamento da pele.

Por esse motivo, é essencial estar atento aos sintomas para procurar por profissionais especializados, sejam eles clínicos gerais ou odontologistas que atendem por meio de plano odontológico.

Isso porque apenas os médicos poderão avaliar quais as origens da queda da imunidade e das inflamações, sanando os problemas e dúvidas relacionados à ela.

Cabe mencionar neste ponto que um dos principais fatores que implicam na alta ou baixa da imunidade é a alimentação balanceada – ou a falta dela.

Afinal, com a baixa ingestão de vitaminas, minerais e nutrientes, as células de combate aos vírus são uma das primeiras a sentirem, não tendo a força necessária para conter as inflamações.

Para além da alimentação, a alteração hormonal também pode impactar na imunidade. É o que pode ocorrer, por exemplo, antes de iniciar o ciclo menstrual feminino por conta da alteração nos níveis de progesterona.

Por fim, cabe dizer ainda que a baixa imunidade pode ter origem em fatores como o estresse, estilo de vida e até fatores genéticos, por esse motivo um atendimento multidisciplinar oferecido por um convênio dental pode ser estratégico nos tratamentos.

Para o caso do acompanhamento no modelo de atendimento particular, é preciso que haja a comunicação efetiva entre o paciente e as áreas, permitindo um tratamento mais completo e eficaz, inclusive na identificação de problemas na absorção de vitaminas.

Prevenção e alimentação

Como mencionado no tópico anterior, a alimentação é crucial para a manutenção da imunidade, mantendo seus níveis adequados.

Isso porque ela impacta diretamente no fortalecimento do corpo, de seus sistemas e tecidos, fornecendo substâncias como as vitaminas e minerais necessários para o funcionamento do corpo.

Com isso, recorrer aos alimentos ricos em vitamina C – por exemplo – pode ser muito vantajoso, regulando o organismo e contribuindo com diversos outros aspectos corporais, como a redução de inflamações gengivais.

Dentre os alimentos que contribuem com a imunidade estão:
  • Frutas cítricas;
  • Vegetais verde escuros;
  • Oleaginosas;
  • Antioxidantes;
  • Gengibre;
  • Alhos;
  • Castanhas;
  • Iogurte.

Nesse sentido, é preciso destacar que a alimentação é fundamental por contribuir com o equilíbrio e higienização bucal, reduzindo o número de bactérias e os seus efeitos na boca.

A boca também é o primeiro acesso dos alimentos e vírus, e tê-la fortalecida é fundamental para reduzir os impactos das bactérias e ampliar a absorção das vitaminas; diminuindo o acesso e reduzindo os machucados que podem surgir na cavidade.

Saúde bucal e imunidade

Assim como a imunidade impacta na saúde bucal, podendo ocasionar feridas e inflamações, que dão abertura para outras contaminações; a saúde bucal pode impactar na imunidade.

Isso significa que é preciso ter cuidado e recorrer aos tratamentos multiprofissionais, identificando os fatores de risco e fazendo o acompanhamento adequado da saúde para evitar agravamentos.

Esse acompanhamento pode ser feito por meio das clínicas particulares, redes de atendimento ou ainda por um plano odontológico pessoa física, afinal é preciso analisar desde os exames laborais como o de sangue até riscos bucais – mantendo os procedimentos de rotina como a profilaxia em dia.

Vale destacar neste ponto que alguns aspectos da saúde podem entrar em um “ciclo vicioso” nesse contexto.

Isso porque, por exemplo, a imunidade pode ser afetada ao combater ocorrências na cavidade oral – fragilizando o organismo – enquanto as feridas bucais e a queda na imunidade podem interferir na saúde como um todo, acarretando em novos problemas para o corpo.

Para isso, a higienização e o cuidado correto com a estrutura se mostram fundamentais, principalmente porque esse processo é o responsável por reduzir as placas bacterianas – que podem impactar na imunidade ou trazer riscos, principalmente quando houver feridas na boca.

Com a escovação, diversas inflamações podem ser controladas, como ocorre com a gengivite.

Além disso, a contaminação cruzada (que ocorre pela troca de secreções) é minimizada, já que os vírus e bactérias presentes na boca são eliminados – não afetando o corpo e não sendo transmitidas.

Baixa imunidade e saúde bucal: Entenda a relação
Planos e convênios odontológicos – Foto: Victoria Mechenas – Divulgação / Arquivo Pessoal
Cuidados: práticas para o fortalecimento imunológico

A melhor forma de evitar o contágio de qualquer doença é a prevenção.

Nesse sentido, fortalecer o sistema imunológico e manter a higiene bucal em dia se mostram estratégias essenciais para contribuir com a prevenção e combate dos problemas.

Para isso, algumas práticas se mostram essenciais, impactando diretamente na resistência do corpo e na ampliação da imunidade.

A hidratação correta é um desses aspectos, já que o corpo depende da água para se manter nutrido, eliminar toxinas presentes no corpo e até para realizar a higienização bucal.

Outro ponto que demanda atenção é a necessidade de redução dos focos de estresse.

Para isso é fundamental buscar por atividades que relaxem o corpo e a mente, diminuindo os efeitos negativos advindos da ansiedade.

Para a ampliação do bem-estar e liberação de hormônios como a endorfina e serotonina. Portanto, a prática regular de atividades físicas também são imprescindíveis, ampliando o bem-estar e regulando a imunidade.

Por fim, dormir bem favorece a regulação e reestruturação do organismo.

Afinal, é nesse momento que o corpo “recarrega” suas energias e consegue liberar diversas substâncias que contribuem para a disposição, fixação do conhecimento e melhora do sistema imune.

Considerações finais

Muitas doenças que atingem o sistema imunológico podem se manifestar pelo corpo. Sendo assim,  que a boca pode ser uma das mais afetadas por lidar diretamente com bactérias naturais e externas. Assim, manter práticas de higienização com o uso de escovas e fios dentais, além do acompanhamento da saúde corporal com profissionais especializados se mostram indispensáveis, reduzindo os riscos de infecções.

Por isso, procure investir nessas práticas. Ficar atento aos sinais para prevenir o surgimento das inflamações e manter a saúde e bem-estar por mais tempo. Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Ideal Odonto, empresa especializada em planos odontológicos com atendimento acessível para devolver o sorriso dos pacientes.

Baixa imunidade e saúde bucal: Entenda a relação
Click E-books – Livraria Digital com Títulos Incríveis

Foto: Victoria MechenasDivulgação / Arquivo Pessoal

Fonte: Victoria Mechenas
Assessoria Digital

Tudo voltará ao normal. Será que o mundo se reinventa após a Pandemia Covid-19

Clique aqui e veja nossos e-books de Yoga e Meditação. Peça já o seu!

Artigos pagos no Portal de Rodolfo Bracali Jornalista

Veja ainda nosso ebook: Um corpo bonito é essencial

Isto é, Ofertas Incríveis de e-books: Black Friday

Veja ainda nossos Infoprodutos: Produtos PLR

Clique para um café

Rodolfo Bracali

Rodolfo Bracali , Chef Argentino e Assessor Gastronômico , Marketing de Conteúdos, Jornalista no portal egonoticias.com - Atualmente Mora em Belo Horizonte Minas Gerais. Tudo isso você pode acompanhar nos meus espaços na Web. CONTATO: WhatsApp +55 31- 99885-9387 - e-mail: rcb539@gmail.com site: https://chefrodolfobracali.com.br/ -

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo