[Hotel Urbano] 970×250 – Eurotrip
[Patroni Pizza] 970×250 – Full Banner – DESK/TAB
ECONOMIA E NEGÓCIOSMercado Financeiro

5 Razões para que as eleições no Reino Unido sejam positivas para a Libra Esterlina

A Libra Esterlina frente as eleições do Reino Unido

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, surpreendeu o mundo e anunciou uma eleição rápida no dia 8 de junho. Com o consentimento do Partido Trabalhista, as eleições serão de fato realizadas no dia 8 de junho. May fez uma aposta calculada para ir às urnas. Está ciente de sua popularidade elevada e é provável que realmente venha a ganhar.

Com isso o par GBP / USD já está em ascensão, superando 1,2665. Mais razões pelas quais as eleições devem ser um fator positivo para a  Libra Esterlina permitindo alcançar patamares mais elevados.

Foto: Divulgação - GBPxUSD - www.charlesclifton.co.uk
Foto: Divulgação – GBPxUSD – www.charlesclifton.co.uk

1 – Mandato para May: Theresa May tornou-se Primeira Ministra após David Cameron sair abruptamente e depois de seus rivais para a liderança caírem  um a um. Ela nunca foi eleita pelos membros do seu partido nem pelo público. Ganhar uma eleição geral lhe dará um mandato mais amplo para moldar a saída da Grã-Bretanha do bloco da União Européia. Mais importante ainda, ela vai dar a sua sala mais pensando em uma estratégia para um Brexit (saída da Grã Bretanha do bloco da União Européia) mais suave, talvez mais perto de suas crenças.

2 – Brexiteers mais fracos: Quando May entrou, ela se livrou de alguns políticos da velha guarda, como o ex-chanceler Osborne e um dos principais Brexiteers, Michael Gove. No entanto, ela deu carteiras sênior para o “Três Brexiteers”: Boris Johnson, David Davies e Liam Fox. Alguns são mais talentosos do que outros. A nomeação de Johnson era provavelmente necessária a fim impedir  críticas sobre um potencial Brexit lento. Mas agora, depois de uma vitória nas eleições, ela poderia se livrar dessa responsabilidade diplomática chamada Johnson e não enfrentar uma reação significativa.

3 – Mais fraco UKIP: Enquanto o único partido UKIP em questão não tinha quase nenhum membro no parlamento, eles tiveram uma influência desmedida sobre a política do Reino Unido. Pressões vindas de Nigel Farage e seus colegas pressionaram o ex-Primeiro Ministro Cameron a realizar o referendo da UE. O partido, agora envolto em lutas internas, está definido para obter muito menos do que os 14% que recebeu nas eleições de 2015. Isso vai enfraquecer as exigências de um Brexit duro.

4 – Trabalho derrotado: O opositor Partido Trabalhista elegeu o duro-esquerdo Jeremy Corbyn em 2015 e reeleito em 2016. Ele agora vai enfrentar o público em geral e provavelmente será derrotado. Isso poderia impor forças favoráveis ao mercado, independentemente da Brexit.

Bom momento com o resto da Europa: Enquanto as eleições francesas parecem próximas, o principal candidato permanece pró-europeu e centrista Emmanuel Macron. Uma cara fresca no Elysee é ajustada para coincidir com um governo reforçado em Londres. As negociações da Brexit não deveriam começar antes de Junho, em qualquer caso, devido às eleições na França. As eleições na Alemanha provavelmente resultarão em um líder pró-europeu em qualquer caso. Em suma, o movimento de May aproveita o período de silêncio antes das negociações começarem a sério. Eliminar toda a incerteza política em um curto período de tempo também é favorável para os mercados.

Foto da Capa: Divulgação

Tags
Mostrar Mais

Carlos Alberto Alonso

Nascido em São Paulo-SP - Brasil. Formado em Economia pelas FMU, tendo atuado em empresas de 1ª linha como: The First National Bank of Boston, Grupo Bunge Born, Valmet Oi, Citrosuco Paulista S/A, Brahma e AmBev, atualmente atuando como trader no mercado forex e criptomoedas. 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios