Arte e Cultura

A Tiktokização das profissões: tire vantagem dessa onda

Especialista afirma que é possível prosperar profissionalmente usando os recursos das mídias sociais

A Tiktokização das profissões: tire vantagem dessa onda

A plataforma Tik Tok revolucionou a maneira de produção e consumo de vídeos. “Aplicativos como o antigo Vine tinham outros recursos e objetivos bem diferentes das tendências de vídeos de 2021”, relata Juliana Umbelino, CEO da agência de Mídias Pa’lante. “Por mais incrível que pareça, o Vine explodiu por causa das suas limitações. Afinal, vídeos de seis segundos podem dar certo como? Quem pegou o app no início e usou desses 6 segundos para fazer humor foi quem mais viralizou. Como por exemplo, Lucas Rangel que vive muito bem.”. A apresentadora Ana Clara Mello Lima se destacou tanto na antiga plataforma de vídeos Vine, que se tornou uma das personalidades brasileiras mais famosas do aplicativo.

Ser um bom profissional independe das escolhas virtuais

Polêmicas à parte, Juliana Umbelino garante que quem é esperto ao usar os recursos das ferramentas disponíveis é quem lucra mais. Porque quanto mais pessoas entenderem e se lembrarem do seu negócio, do seu rosto, do seu nome… Maiores são as chances de você ser contratado(a) e/ou indicado(a). “Por mais que exista essa ‘zoeira’ com quem produz conteúdo na internet, é inegável que quem leva informações úteis para pessoas comuns e de formas simples é um profissional excelente. Mas é importante lembrar que profissionais incríveis também podem optar por não produzir conteúdo. Afinal das contas, nem tudo na vida é uma competição!”.

Democratização da informação

Primeiramente: é preciso ter consciência que o mercado muda e quem se adapta sai na frente. Pois por mais que haja muito nariz torcido para os profissionais que se rendem às dancinhas e dicas rápidas, sabemos que muitos jovens e adultos só entendem e tem acesso à informação dessa maneira. Aliás, a democratização da informação importa e muito. “Precisamos entender que apesar de várias profissões terem códigos de ética rígidos, informações sobre saúde mental, saúde física, direitos (e muito mais) devem ser levadas à quem precisa delas. E muitas vezes quem precisa delas só tem acesso ao celular e internet. O ideal seria o acesso e entendimento de livros, cartilhas e afins. Por isso devemos ter cuidado ao criticar quem ensina pessoas através das suas mídias sociais.”.

Pressão para produzir conteúdo

“Uma boa forma de conciliar a produção de conteúdo com a carreira é fazer o planejamento de conteúdo do mês com antecedência. Além disso, é importante tirar um ou dois dias do mês para produzir vídeos. Basta trocar de roupa e mudar os cenários. Afinal, o planejamento você já fez com antecedência. Dessa forma você evita contratempos e atrasos na sua agenda e na sua produção de material para as redes sociais.”, aconselha Juliana.

Tiktokização para quem quer

Enfim, “a tiktokização das profissões pode ser positiva desde que haja critério na hora de publicar conteúdos realmente úteis.”, reforça Juliana. Porque o maior segredo nem é dar dicas, entreter… é fazer com carinho para quem precisa receber aquela informação ou criar identificação. O que não dá é postar mil conteúdos por postar ou prejudicar a sua profissão por causa das mídias sociais.

Fonte: Juliana Umbelino, CEO e diretora de criação da Pa’lante Mídias Sociais e Soluções em Tecnologia.

Fotos: Karen Ramos

Leia tambémMarcas relevantes cuidam do branding, por Marqcerto

 

Redação ego noticias

egonoticias.com o seu canal de entretenimento. O Portal das Celebridades e Famosos, Você é a notícia, nós publicamos.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo