[Hotel Urbano] 970×250 – Eurotrip
[Patroni Pizza] 970×250 – Full Banner – DESK/TAB
ECONOMIA E NEGÓCIOSNegócios

A receita perdida de um moribundo faz de sua filha uma multimilionária.

Foto Hiroe Tanaka -by Kushikatsu Tanaka co.

Foto Hiroe Tanaka -by Kushikatsu Tanaka co.

 

Foto Hiroe Tanaka – by Kushikatsu Tanaka co.

Quando o pai de Hiroe Tanaka morreu, deixou para trás algo que mudaria sua vida: uma receita para a carne frita em uma vara. Foi um ato de amor. Sua filha adorava a comida de rua japonesa conhecida como kushikatsu e ele passava horas intermináveis trabalhando como fazê-la da melhor forma possível.

Uma nota manuscrita, que detalhou como cozinhar o prato aparentemente simples, ajudou a salvar seu restaurante da falência em 2008, elevou Tanaka de empregada de meio período à vice-presidente de uma empresa, e fez dela uma multimilionária, abandonou a universidade  e agora define a estratégia para os US $ 82 milhões da  Kushikatsu Tanaka Co.

“Presto homenagem a meu pai todos os dias”, disse Tanaka, de 46 anos, em uma entrevista. “Tudo aconteceu por causa da receita.”

Kushikatsu Tanaka começou a operar em setembro depois de uma popular oferta pública inicial com preços no topo de sua faixa indicativa. As ações, que estão listadas no mercado de ações do Japão para empresas de médio porte, se elevaram mais de 50% até o final da semana passada. Eles subiram 0,3% na segunda-feira.

A cadeia já percorreu um longo caminho desde que abriu seu primeiro restaurante em Tóquio, em dezembro de 2008, onde Tanaka e Keiji Nuki, presidente da empresa, usaram equipamentos de cozinha de segunda mão para manter os custos baixos. Kushikatsu Tanaka agora tem 146 filiais em todo o Japão e uma no Havaí. Ele planeja abrir mais 40 este ano.

O ritmo de expansão de restaurantes japonês é um dos mais rápidos no mundo. E embora isso seja, em parte, devido à estratégia da empresa de trazer o modelo de negócios empregado por lojas de desconto de “100 ienes” para a indústria de alimentos, oferecendo pratos a preços mais baratos possíveis, também é, diz Tanaka, muito graças ao seu pai.

Foto divulgação - Kushikatsu Tanaka Co.
Foto divulgação – Kushikatsu Tanaka Co.

Kushikatsu, um prato feito com  carne e legumes skewered, fritando-os e mergulhando-os  no sauce, é comum nas ruas de Osaka, no oeste da principal ilha do Japão, onde Tanaka cresceu. Menos conhecido em outras partes do país, o alimento originou como uma refeição rápida, caindo no gosto dos trabalhadores.

Em ocasiões especiais, quando Tanaka ainda era criança, sempre que alguém lhe perguntava que comida ela queria comer, ela sempre dizia kushikatsu. Seu pai, ela diz, percebeu o que outros não fizeram: que cozinhar é uma arte. O óleo, massa e molho todos têm de ser os melhores. Durante anos ele usou seu tempo de inatividade como agente imobiliário para trabalhar no aperfeiçoamento do kushikatsu para ela, diz Hiroe Tanaka.

Então, quando Hiroe tinha 21 anos, seu pai faleceu.

Como Hiroe continuou com sua vida, fazendo trabalho administrativo em uma agência de publicidade depois de decidir abandonar seus estudos na universidade de literatura, ela tentou sem sucesso reproduzir o kushikatsu do seu pai. No final da década de 1990, ela assumiu um emprego com Nuki, que estava dirigindo um bar em Osaka na época, porque ela queria se concentrar em cozinhar. Um dos pratos que ela constantemente tentou fazer foi kushikatsu.

Anos depois, Tanaka mudou-se para a capital para trabalhar em um restaurante high-end que Nuki abriu. Novamente, ele deixou Hiroe tentar cozinhar kushikatsu, embora ele não compartilhasse sua paixão pela comida.

foto by Akio Kon/Bloomberg
foto by Akio Kon/Bloomberg

Mas ela não conseguia acertar, mesmo com a ajuda de profissionais. Depois de vários anos, ela começou a pensar que o kushikatsu de seu pai morreria com ele.

“Não foi tão simples como eu pensava”, diz ela. “Eu comecei a pensar que talvez depois de tudo isso fosse melhor desistir.”

Nesse ponto, as coisas pioraram.

Quando em 2008, com a crise financeira global, afastou os clientes e Nuki estava dispostos fechar o restaurante. Disse a Tanaka que o jogo estava acabando, ele estava fechando e era hora de ir para casa.

Tanaka não estava disposta a desistir. Ela até se ofereceu para pedir dinheiro emprestado para o negócio em seu próprio nome. Mas ela aceitou que era hora de dar um passo para trás, e começou a fazer as malas.

Foi quando ela encontrou. Estava em uma caixa de memorandos e lembranças de seu pai. Ele tinha, afinal,  deixado o segredo de seu kushikatsu .

Nem Tanaka nem Nuki tinham alguma expectativa para as instruções rabiscadas, que haviam sido corrigidas uma e outra vez. “A descoberta não foi nada dramática”, lembra Nuki. “Não é como se o memorando tivesse o ‘sucesso garantido’ escrito nele.”

Mas eles tentaram e funcionou. “Foi, de fato, o gosto do kushikatsu que meu pai costumava cozinhar”, diz Tanaka.

Nuki, um novo fã de kushikatsu, decidiu fazer uma última tentativa de conquistar a cena do restaurante de Tóquio.

Kushikatsu Tanaka restaurante em Tóquio.

Ele encontrou uma pequena propriedade em uma tranquila área residencial  fora do centro de Tóquio, onde o aluguel era mais barato. Ele encheu a cozinha com instrumentos e utensilios antigos, e tudo que faltava ele comprou usando um site de leilão. “Muita gente me disse para não fazê-lo, que o lugar não atrairia pessoas porque não havia outras lojas nas proximidades”, diz ele.

Mas o kushikatsu Tanaka foi viral.

Pessoas faziam grandes filas para entrar no restaurante Nuki, que teve de configurar mesas extras do lado de fora. O número de bicicletas estacionadas fora da loja gerou queixas dos vizinhos. Passageiros em ônibus olhavam com curiosidade as longas filas.

Nuki e Tanaka adicionaram uma segunda e terceira loja. Eles todos movimentado com os clientes. Quando um concorrente “kushikatsu” abriu um restaurante na moderna área de Shibuya de Tóquio, os dois decidiram que era hora de transformar seus negócios em uma franquia.

foto by Akio Kom/Bloomberg
foto by Akio Kom/Bloomberg

Negócios de franquia

“No início, eu não gostei da idéia de ter outros envolvidos”, disse Tanaka. Mas “o que eu odiava mais era ter pessoas em Tóquio oferecendo “kushikatsu” feitas por copiadores e sair com uma imagem negativa de gosto ruim”, diz ela.

Um cliente come espetos panados fritos de Kushikatsu.

“Kushikatsu Tanaka” contabilizou 316 milhões de ienes (US $ 2,9 milhões) no lucro operacional para o ano encerrado em novembro, um aumento de 57% em relação aos 12 meses anteriores.

Ryotaro Sawada, um analista da Ace Securities Co., que tem uma classificação neutra sobre as ações, soa uma nota de cautela. “A empresa está apontando 40 lojas este ano, mas os investidores devem estar cientes das chances de o número ficar aquém da meta dada a concorrência”, disse Sawada em uma nota aos clientes no início deste ano.

Kushikatsu Tanaka negociou 31 vezes os ganhos no fechamento de sexta-feira, contra uma média de 26 vezes para 194 empresas no Topix Retail Trade Index. Analistas esperam que o estoque aumente 17%  nos próximos 12 meses.

Tanaka, possui  uma participação que agora vale mais de US $ 3 milhões. De certa forma, é o último presente de seu pai. Quanto à receita, ela diz que só ela e Nuki viram desde que ela encontrou, e vai ficar assim.

“Kushikatsu é a minha vida”, diz Tanaka. “Eu não sei o que faria sem ele.”

 Fonte: Bloomberg by Min Jeong Lee, Hiroyuki Sekine and Toshiro Hosegawa

 

Tags
Mostrar Mais

Carlos Alberto Alonso

Nascido em São Paulo-SP - Brasil. Formado em Economia pelas FMU, tendo atuado em empresas de 1ª linha como: The First National Bank of Boston, Grupo Bunge Born, Valmet Oi, Citrosuco Paulista S/A, Brahma e AmBev, atualmente atuando como trader no mercado forex e criptomoedas. 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios