Arquitetura

A jornada de Luana Sodré em transformar espaços em memórias vivas

Descubra como a arquiteta Luana Sodré está redefinindo a relação entre espaços físicos e identidade, mergulhando nas profundezas da psicoarquitetura

A arquitetura da alma: A jornada de Luana Sodré em transformar espaços em memórias vivas

No pitoresco cenário de Ilhéus – BA, onde o cacau dança ao ritmo das histórias de Jorge Amado, emerge uma voz singular na paisagem arquitetônica: a de Luana Sodré. Arquiteta e urbanista, com quase três anos de formada, sua jornada com a arquitetura é uma narrativa de descobertas, paixões e uma busca incansável por significado nos espaços que habitamos.

A arquitetura da alma: A jornada de Luana Sodré em transformar espaços em memórias vivas
Projeto desenvolvida pela arquiteta referência em psicoarquitetura Luana Sodré – Foto: Divulgação
Da adolescência à visão profissional

Desde a adolescência, Luana era uma visionária de espaços, uma decoradora nata que encontrava inspiração nas fachadas das casas e nos cantos menos explorados das ruas. Sua ligação com a arquitetura, porém, só se revelou completamente após um projeto escolar que a conduziu ao universo das maquetes e das possibilidades infinitas que a arquitetura oferece.

Transcendendo fronteiras

Hoje, residente e profissional em Ilhéus, Luana transcende fronteiras físicas ao atender clientes de todo o mundo através da plataforma online. Sua jornada profissional começou com uma inquietação comum entre muitos recém-formados: um mercado saturado de estética vazia, onde os espaços careciam de alma e propósito.

A arquitetura da alma: A jornada de Luana Sodré em transformar espaços em memórias vivas
Arquiteta referência em psicoarquitetura Luana Sodré – Foto: Divulgação
Da estética à alma

Foi então que Luana descobriu a psicoarquitetura, ou melhor, foi descoberta por ela. Essa abordagem revolucionária não apenas mudou sua perspectiva sobre sua profissão, mas também se tornou a essência de seu trabalho. Para Luana, uma casa não é apenas uma estrutura física, mas uma extensão da identidade de quem a habita. A psicoarquitetura permite que ela mergulhe nas profundezas da história e personalidade de cada cliente, transformando cada projeto em uma jornada de autodescoberta e expressão.

Do conceito à tangibilidade

O processo de trabalho de Luana é tão único quanto seu ethos. Cada projeto recebe um nome, pois ela acredita que dar nome às coisas as torna tangíveis, vivas. Essa prática não só cria uma conexão emocional com seus clientes, mas também os transporta para um mundo onde seus sonhos residem antes mesmo de se tornarem realidade.

A arquitetura da alma: A jornada de Luana Sodré em transformar espaços em memórias vivas
Projeto desenvolvido pela arquiteta referência em psicoarquitetura Luana Sodré – Foto: Divulgação
Uma nova abordagem: memória afetiva, orgânicos e biofílicos

Em sua abordagem arquitetônica, Luana se destaca por sua ênfase em memória afetiva, linhas orgânicas e design biofílico. Sua paleta de cores vibrantes e a incorporação da natureza em cada projeto são testemunhos de seu compromisso com o bem-estar, a harmonia e uma vida com propósito.

Redefinindo a relação entre espaços e identidade

Por meio de sua jornada, Luana está redefinindo não apenas espaços físicos, mas também a relação entre arquitetura e identidade. Sua visão transcende o mero design e alcança as profundezas da alma humana, criando espaços que não apenas abrigam, mas também nutrem e inspiram. Em um mundo onde a estética muitas vezes supera o significado, Luana Sodré é uma voz que nos lembra que a verdadeira beleza está na interseção entre forma e essência, onde os espaços se tornam memórias vivas.

“Transformar espaços em afeto”

Conheça mais sobre seu trabalho

Siga Luana no Instagram: @arquitetaluanasodre

Fotos: Divulgação

Jornalista: Ranai Lima

Siga Ranai Lima no Insta

GOD SAVE THE FASHION 360°

Ranai Lima

Nascida em São Paulo - Capital. Formada em Jornalismo e Atualmente Autora no portal de egonotícias.com desde 2021

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo