[Hotel Urbano] 970×250 – Eurotrip
[Patroni Pizza] 970×250 – Full Banner – DESK/TAB
Agronegócios

Caramuru investe R$ 115 milhões na produção de etanol a partir da soja

Complexo industrial de Sorriso, no Mato Grosso, produzirá em larga escala o combustível

A Caramuru, maior empresa de processamento de grãos de capital nacional do País em parceria com a FINEP a Caramuru, vai investir R$ 115 milhões na ampliação do complexo industrial de Sorriso, no Mato Grosso, para produzir em larga escala o combustível à base da oleaginosa.

Em 2012, quando a Caramuru Alimentos começou a produzir proteína concentrada de soja na fábrica de Sorriso/MT, a empresa deparou-se com um problema: o que fazer com o resíduo, o melaço de soja? “Era uma quantidade tão grande que poderia emperrar a fábrica”, lembra o vice-presidente, César Borges.

De lá para cá, as 230 toneladas diárias de melaço têm sido aproveitadas para alimentação do gado e geração de energia. Agora a empresa decidiu produzir etanol de soja a partir do melaço, um projeto pioneiro no País em escala industrial, diz Borges.

Foto: Divulgação - Grupo Caramuru
Foto: Divulgação – Grupo Caramuru

Etanol hidratado

O combustível está na classe dos etanóis hidratados, ou seja, os que são vendidos diretamente na bomba do posto de combustível. Além disso, o álcool poderá ser usado como matéria-prima na indústria, na fabricação de perfumes, materiais de limpeza, solventes e tintas.

Como é um etanol hidratado, o combustível feito a partir da soja serve para todos os tipos de veículos que, hoje, já rodam com o etanol convencional, seja puro ou misturado com a gasolina em carros flex. É importante deixar claro que não se trata do etanol anidro, aquele que é fabricado com cana-de-açúcar e misturado à gasolina nas refinarias.

Linha de Produtos

Linha de produtos Caramuru
Linha de produtos Caramuru

Geração de empregos

Com esse investimento a Caramuru criará 60 novos empregos diretos e 200 indiretos para a região.

Na nova planta do complexo industrial, todo o potencial da matéria-prima soja será aproveitado com alta eficiência energética, minimizando os impactos ambientais.

Durante o processamento da soja, será produzido simultaneamente energia elétrica (cogeração), biodiesel e etanol hidratado.

A Caramuru não possui uma estimativa se o seu combustível será mais barato ou mais caro que os concorrentes. Por enquanto,  a cana-de-açúcar ainda é o produto mais viável em grande escala.

A ampliação do complexo industrial da Caramuru deve ficar pronta em 2019, quando a unidade terá capacidade anual avaliada em 6,8 milhões de litros de etanol hidratado

Subproduto sem custo adicional

De acordo com a Caramuru, o investimento se justifica pela maior oportunidade de negócios para os agricultores da região (Mato Grosso é o maior produtor de soja do país, com 30 milhões de toneladas), que terão oportunidade de agregar valor ao produto. Como a empresa trabalha com a industrialização de óleo e outros derivados da soja, o etanol é um subproduto a mais que, agora, pode ser extraído da oleaginosa, sem custos adicionais, otimizando os processos que já existem.

O grupo Caramuru
Foto: Divulgação - Caramuru
Foto: Divulgação – Caramuru

Com sede em Itumbiara (GO), o Grupo Caramuru pertence à família Borges de Souza e opera no processamento de grãos e na produção de biodiesel.

Seu faturamento em 2017 alcançou  R$ 4 bilhões e exportou US$ 522,4 milhões.

O grupo conta com 2,7 mil funcionários distribuídos em suas cinco fábricas: Itumbiara, São Simão e Ipameri, em Goiás; Apucarana (PR); e Sorriso (MT).

Em 2016, processou 1,7 milhão toneladas de soja, 232,9 mil toneladas de milho, e 28,2 mil toneladas de girassol.

A produção de biodiesel teve inicio em 2006 na unidade de São Simão (GO), com investindo-se inicialmente R$ 42,8 milhões. Em 2008, ampliou sua capacidade, com a aplicação de mais R$ 12 milhões, atingindo o processamento de  225 milhões de litros anuais. Em 2010, a empresa investiu R$ 54 milhões na implantação da unidade industrial de Ipameri (GO), que produz 625 m³ de biodiesel por dia e 225 milhões de litros anuais.

Foto: Divulgação - Caramuru
Foto: Divulgação – Caramuru

Em 2016, o grupo finalizou, em Sorriso, a instalação da sua terceira unidade de produção de biodiesel, a partir de óleos vegetais e gorduras animais.

Neste ano a unidade de Sorriso, entrou em operação, com a  capacidade para processar 95,7 mil metros cúbicos de biodiesel/ano.

O Grupo Caramuru também se destaca pela logística de movimentação de produtos e grãos, com fortes investimentos no Porto de Santos e Tubarão, em ferrovias e na Hidrovia Tietê-Paraná, favorecendo a utilização de transportes multimodais e a diminuição dos custos operacionais.

Fonte: Grupo Caramuru / Folhamax

 

Tags
Mostrar Mais

Carlos Alberto Alonso

Nascido em São Paulo-SP - Brasil. Formado em Economia pelas FMU, tendo atuado em empresas de 1ª linha como: The First National Bank of Boston, Grupo Bunge Born, Valmet Oi, Citrosuco Paulista S/A, Brahma e AmBev, atualmente atuando como trader no mercado forex e criptomoedas. 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios