ECONOMIA E NEGÓCIOSMercado Financeiro

Como investir na Bolsa de Valores

foto: divulgação - carteirarica.com.br
foto: divulgação – carteirarica.com.br

As 7 coisas que você precisa saber para começar a investir.

Leandro Siqueira, opera na bolsa de valores desde os 17 anos  e mostra em sua matéria publicada na “edufinance” os princípios básicos necessários para o iniciante neste mercado.

Você tem vontade de investir na bolsa de valores, porém não tem ideia de por onde começar?

Além disso, tem medo de acabar perdendo dinheiro por não ter o conhecimento necessário para investir da maneira correta?

Se você respondeu sim a essas perguntas, então continue lendo, pois esse artigo édedicado a você.

Há 3 anos atrás, quando comecei a investir na bolsa de valores, eu estava nessa mesma situação.

Por mais que eu procurasse, não havia nenhum site, livro ou blog que ensinasse uma pessoa que nunca ouviu falar sobre ações a como investir na bolsa de valores.

A verdade é que todo conteúdo existente é fragmentado e rebuscado.

O investidor iniciante é obrigado a garimpar informações de vários sites e livros, traduzi-las para um português compreensível e juntá-las como um quebra-cabeça.

Somente assim ele pode aprender a investir na bolsa de valores.

E foi exatamente isso que eu fiz durante os últimos 3 anos.

Basicamente, eu lia e absorvia todo o conteúdo sobre bolsa de valores que eu pudesse encontrar.

Foram mais de 5.000 páginas de livros e mais de 1.000 artigos online para que eudominasse completamente a arte de investir em ações.

Depois de tantos anos me dedicando a compreender o assunto, eu cheguei a seguinte conclusão:

Você só precisa saber 7 coisas para começar a investir na bolsa de valores.

A maioria dessas coisas você só aprenderia na prática e, provavelmente, perdendo dinheiro com ações.

É por isso que existe o mito:

“Investir em ações é muito arriscado.”

Ele foi criado por iniciantes que não tinham o conhecimento necessário para investir corretamente e, por isso, perderam dinheiro.

Se você não quer ser mais um investidor iniciante perdendo dinheiro, sugiro que você continue lendo esse artigo.

Ao final, você terá aprendido os 7 pilares para começar a investir na bolsa de valores e poderá revolucionar o quanto você ganha com seus investimentos.

Mas antes disso…

Por que você deveria investir na bolsa de valores?

A resposta para essa pergunta é bem simples.

Você deveria investir na bolsa porque é o que as pessoas mais ricas do mundo fazem.

Veja o exemplo de Warren Buffett, George Soros, Paul Jones, entre outros.

Todos ficaram bilionários apenas investindo na bolsa de valores.

Isso não significa que você tenha que ganhar dinheiro exclusivamente com ações.

Na verdade, o mais indicado é que você aprenda a investir para fazer o dinheiro que você já ganha render mais ainda.

E de quanto estamos falando quando dizemos que pode render mais?

Após o ciclo de queda terminado em 1983, a bolsa se valorizou impressionantes1.573% em menos de 3 anos.

Em 1986 tivemos um novo ciclo de queda. Após isso, a bolsa se valorizouinacreditáveis 3.415% em 6 anos e meio.

De 1997 a 2002 tivemos um novo ciclo de queda. Nos anos seguintes, a bolsa subiu 2.051% e 5 anos e meio.

Entretanto, perto de 2002, a pessoas que escolheram boas empresas para investir fizeram os ganhos acima parecerem pequenos.

Se você tivesse investido R$20.000 nas Lojas Americanas, em 2002, hoje teria algo próximo a 4 Milhões de Reais.

Um ganho de 20.000%.

“Contra fatos não há argumentos.”

Se você está disposto a obter ganhos de até 400% ao ano em troca de certa dose de risco (e quanto maior for o seu conhecimento, menor vai ser esse risco), então vocêprecisa saber responder essas 7 perguntas.

Continue lendo para aprender:

#1 O que são ações?

#2 O que realmente é a Bolsa de Valores?

#3 Como escolher a melhor Corretora?

#4 O que é Home Broker e como ele funciona?

#5 Como são formados os códigos das ações (PETR3, PETR4, VALE5)?

#6 O que faz uma ação subir (Escola Gráfica/Técnica x Fundamentalista)?

#7 Bônus

#1 O que são ações?

  • Você conhece alguém que tenha uma empresa?
  • Essa pessoa tem sócios?

Se você respondeu sim para ambas as perguntas, então você já sabe o que são ações, mesmo que não tenha consciência disso.

Na verdade, o conceito de ação é bem simples e eu garanto que você irá entendê-lorapidamente.

Certa vez eu estava em uma palestra sobre mercado financeiro e o palestrante usou a seguinte analogia:

“Pare de imaginar uma empresa do jeito que você faz hoje. Comece a imaginá-la como uma pizza.”

É claro que a reação de todos, inclusive a minha, foi rir.

Mas o palestrante não estava errado e, certamente, essa foi a melhor explicação sobre ações que eu vi.

Ele retomou:

“Você não costuma comer uma pizza sozinho, espero eu. Normalmente, você divide com outras pessoas. E chama essas divisões de fatias ou pedaços.”

Imediatamente, a atenção das pessoas se voltou para ele.

“Mas por que você faz isso? Por que você não come a pizza inteira?”

As duas respostas mais ouvidas foram:

  • Porque eu não quero pagar por uma pizza inteira
  • Porque eu não consigo comer uma pizza inteira

E o palestrante continuou:

“Agora troque comer por administrar e pizza por empresa.”

“Uma pessoa comum não consegue administrar uma empresa gigante, como a Petrobrás. E mesmo que conseguisse, ela não teria dinheiro suficiente para se tornar dono dela.”

É exatamente por isso que existem as ações. Elas são fatias da empresa.

Quando você compra uma ação, na verdade você está comprando parte de uma empresa e se tornando sócio dela.

Agora, por que isso é bom pra você que quer ganhar dinheiro?

Por que você simplesmente não abre a sua própria empresa? Afinal, você seria dono dela e poderia fazer o que bem entendesse com a mesma.

Se você pensa assim, você provavelmente perderá muito dinheiro.

Existem três motivos simples que explicam porque é melhor investir em ações em vez de criar uma empresa.

1º Você economiza o bem mais valioso do mundo, seu tempo.

Quando você compra uma ação, você delega a executivos profissionais a missão de administrar sua empresa.

São pessoas com anos de experiência e know-how no assunto que trabalharão para você.

Enquanto eles trabalham, você pode sair com seus amigos e gastar o dinheiro que eles estão fazendo para você.

Assim, você economiza algo que nenhum dinheiro pode comprar: tempo.

2º Não é preciso ter muito dinheiro para investir em ações.

Ao contrário do que se imagina, é muito barato investir na bolsa de valores.

Enquanto para abrir uma empresa você tem que desembolsar no mínimo R$5.000, você pode começar a investir em ações com menos de R$500.

Você pode começar a investir até com o dinheiro do cafezinho.

3º Você pode se desfazer dela a qualquer momento.

Um dos maiores medos de quem quer abrir seu próprio negócio é perder todo dinheiro caso ele não dê certo.

Esse medo tem total sentido.

Uma vez que o negócio não dê certo, é praticamente impossível que você consiga reaver o dinheiro que foi investido.

Isso ocorre porque não há um grande número de pessoas querendo comprar sua empresa por aí (ainda mais se ela não deu certo).

É exatamente por isso que os maiores investidores do mundo amam o mercado de ações.

Basicamente, eles sabem que podem reaver seu dinheiro a qualquer momento, simplesmente vendendo suas ações.

Essa facilidade de converter um investimento em dinheiro para sua conta é conhecida como liquidez.

E ela só existe pelo motivo que eu vou te contar agora.

#2 O que realmente é a Bolsa de Valores?

A Bolsa de Valores é, certamente, uma das maiores invenções da humanidade.

Por quê?

Vamos voltar algum tempo na história.

Imagine-se em 1845, meses antes da fundação da primeira bolsa de valores brasileira.

Você era exatamente o que é hoje. Uma pessoa comum que não possui uma conta milionária no banco. Mas sonha em ter.

Com a missão de alcançar esse sonho, você decidiu juntar seu dinheiro e investir em grandes empresas.

E, assim, você bateu na porta de 3 grandes empresas e disse:

“Quero investir meu dinheiro em vocês e me tornar sócio da companhia.”

A primeira empresa disse que você deveria procurar um dos sócios e se oferecer para comprar a parte dele.

Ao procurar os sócios, ambos disseram que não estavam interessados em vendersuas ações.

A segunda empresa disse que o sócio estava procurando alguém para comprar suas ações que valiam cerca de R$1 milhão.

Como a maioria dos investidores comuns, você não tinha R$1.000.000 para investir. Além disso, você nem sequer sabia se essas ações valiam isso.

Já a terceira empresa estava disposta a vender uma quantidade pequena de ações.

No entanto, ela informou que já estavam procurando compradores há 2 anos e você foi o primeiro que apareceu.

Isso significa que será difícil se desfazer das suas ações caso haja algum imprevisto.

Entendeu como era complicado investir em ações de empresas naquela época?

É isso que faz a criação da bolsa de valores ser tão importante.

A bolsa de valores organizou o mercado de ações.

Sua função é reunir acionistas interessados em vender suas ações e pessoas interessadas em comprá-las, fechando negócio entre eles.

Assim, você não precisa sair por aí, batendo de porta em porta, perguntando quem quer vender suas ações.

Foto: divulgação edufinance.com.br
Foto: divulgação edufinance.com.br

Se você tem mais de 20 anos ou assistiu “O Lobo de Wall Street”, provavelmente essa é a imagem que vem a sua cabeça quando falamos de Bolsa de Valores.

Um bando de homens de camisa social desarrumada, com um telefone gigante, gritando coisas incompreensíveis e olhando para um telão com números aleatórios.

A verdade é que isso não existe mais. E isso é ótimo para você.

Atualmente, o Brasil possui apenas uma bolsa de valores, chamada BM&F Bovespa. No dia-a-dia, chamamos apenas de Bovespa.

Porém nem sempre foi assim. Até 2008, existiam diversas bolsa de valores no Brasil.

Entre elas, a Bovespa e a BM&F.

A Bovespa foi a pioneira em implementar o sistema eletrônico e acabar com opregão viva-voz (igual ao da foto, com várias pessoas comprando ações no grito).

Isso garantiu a ela a liderança entre as bolsas brasileiras.

Em 2008, ela iniciou um processo de fusão, que uniu a BM&F à Bovespa, resultando na atual e única bolsa brasileira, BM&F Bovespa.

Graças às inovações tecnológicas, hoje você não precisa ir ao prédio da Bovespa e ficar gritando ao telefone para poder comprar ações.

Toda a compra e venda de ações é feita via internet, através de uma Corretora.

Isso significa que você pode começar a ganhar dinheiro hoje mesmo, sem precisar sair de casa.

A única coisa que você precisa fazer é criar sua conta em uma Corretora.

Agora você só precisa saber como escolher a melhor corretora.

Nosso próximo tópico te ensinará a escolher a melhor corretora e economizar muito dinheiro.

#3 Como escolher a melhor Corretora?

A corretora é uma empresa que tem a simples função de intermediar a comunicação entre você e a Bovespa.

Para realizar esse trabalho, ela cobra certas taxas.

Nós postamos recentemente um infográfico explicando quais são essas taxas e quais corretoras cobram menos por elas.

Sem dúvidas, saber escolher corretamente a corretora é o passo principal se você quer começar a investir na bolsa de valores.

Existem inúmeras corretoras no mercado, como a XP, Rico, Clear, Ágora, Mirae, MyCaps, Easynvest, entre outras.

Na hora de escolher a corretora, você deve atentar a 3 fatores:

  • Custos Operacionais (as taxas que falamos acima)
  • Site (ele é complexo ou você consegue encontrar o que procura facilmente?)
  • Atendimento (experimente ligar para a corretora e tirar alguma dúvida boba, isso diz muito sobre como será sua experiência ao utilizá-la no dia-a-dia)

Perguntas frequentes:

Eu tenho que pagar algo ao criar uma conta?

Não, a corretora não funciona como um banco. Você pode criar contas em quantas corretoras quiser e só pagará caso queira investir em algo.

Outra pessoa pode depositar dinheiro na minha conta?

A maioria das corretoras aceita depósitos apenas de contas vinculadas à mesma pessoa. Sendo assim, você só poderia transferir dinheiro da sua conta corrente para a corretora caso as duas estejam em seu nome.

É seguro deixar o dinheiro na corretora? E se ela falir?

Sim, é seguro. Principalmente se for uma grande corretora.

As suas ações não ficam na corretora (ela é apenas um intermediário) e sim na Câmara de Ações da Bovespa. Caso ela venha a falir, você poderá transferi-las para outra corretora.

Poupar e investir nunca foi tão fácil.

Está gostando da leitura? Cadastre-se gratuitamente e receba as atualizações do blog.

Parte superior do formulário

Parte inferior do formulário

Agora que você já sabe o que são ações, o que é a bolsa e como escolher a melhor corretora, vamos para a parte prática.

#4 O que é Home Broker e como ele funciona?

Home Broker é o lugar onde tudo acontece.

Ele é a plataforma online fornecida pela sua corretora para que você possa enviar ofertas de compra e venda de ações direto do seu computador.

Você pode acessá-lo direto do site da sua corretora. Basta fazer o login e clicar em “Home Broker”.

O layout (o design do Home Broker) varia de corretora para corretora.

No entanto, a sua estrutura costuma ser a mesma.

Em geral, ele contem:

  • Botões de compra e venda
  • Book de ofertas (onde aparecem todas as ofertas de compra e venda)
  • Espaço para inserir o código da ação (você entenderá completamente o significado do código das ações assim que ler o próximo tópico)
  • Preço da ação (a dica #6 irá te explicar rapidamente como é formado o preço de uma ação)
  • Variação do preço da ação no dia
  • Lote mínimo

Essa costuma ser a cara de um Home Broker:

Foto: divulgação edufinance.com.br
Foto: divulgação edufinance.com.br

Nessa imagem, você pode ver 4 books de oferta, cada um contendo uma ação, referente aos códigos VALE5, PETR4, SLED4 e BRML3.

Esse seria o book da VALE5:

Foto: divulgação edufinance.com.br
Foto: divulgação edufinance.com.br

Botões

Em cada um deles, há um botão escrito “comprar” e outro escrito “vender”.

É neles que você deve clicar para realizar uma oferta.

Preço

Além disso, também há um preço, ao lado esquerdo do código. Esse é o preço atualde uma ação daquela companhia e indica o valor pelo qual ela foi vendida/comprada pela última vez.

Variação

Já ouviu alguém dizer que uma ação está “subindo” ou “caindo”?

Na verdade, quem disse isso está se referindo a variação da ação, que pode estarpositiva (subindo) ou negativa (caindo).

Essa variação diária do preço está localizada à direita do código da ação. Caso essa variação seja positiva, ela aparecerá em verde. Em caso negativo, aparecerá emvermelho.

Ofertas de compra e venda

Na parte de baixo do book, estão todas as ofertas de compra e venda daquela ação. Ao lado esquerdo estão as de compra e do direito as de venda.

Cada oferta (também chamada de “ordem”) contém 3 informações:

  • A instituição financeira responsável pela oferta, representada por um número
  • Quantidade de ações. Ex: 1,20k (1200 ações)
  • Preço da oferta Ex: 31,80 (por ação)

Lote Mínimo

Por último, há o lote mínimo. Ele é o número mínimo de ações que você pode comprar ou vender.

Além disso, só são permitidas ofertas de múltiplos inteiros desse lote.

Na maioria dos casos, o lote mínimo é composto por 100 ações.

Desse modo, você pode comprar ou vender quantidades de 100, 200, 300, 400 ações e assim por diante. Porém jamais poderia fazer uma oferta de 340 ações.

#5 Como são formados os códigos das ações?

Você deve estar se perguntando como irá encontrar ações se elas são identificadas por códigos e não pelo nome da empresa.

A verdade é que os códigos foram criados para padronizar os diferentes tipos de ações.

Assim, quando você entendê-los, eles irão te ajudar a saber em que tipo de ação (não somente em que empresa) você está investindo o seu dinheiro.

O código das ações é divido em duas partes

  • 4 Letras (PETR, VALE, SLED, BRML)
  • 1 Número (3,4,5)

Obs: há mais números, porém para o investidor comum esses, sem dúvidas, são os únicos que importam.

Letras

Não há um padrão que defina quais letras serão usadas nos códigos das ações. Elas costumam ser as principais letras que formam o nome da empresa.

Apesar de não haver um padrão sobre quais serão utilizadas, o número de letras usado é sempre 4.

Vale = VALE

Petrobrás = PETR

Livraria Saraiva = SLED

Br Malls = BRML

Além das letras, o código é seguido por números.

Há dois tipos de ações que você precisa conhecer para entender o significado desses números.

Ações ON (3)

Ações ON, ou ordinárias, são ações que te dão direito a voto nas reuniões e assembleias da empresa.

No entanto, para o investidor comum, ter direito a voto não serve para muita coisa.

Isso porque o voto é proporcional ao número de ações.

Então, a menos que você vá comprar uma parte relevante da empresa, não vale muito a pena investir nesse tipo de ação.

As ações ON são identificadas pelo número 3.

Petrobrás ON = PETR3

Vale ON = VALE3

Br Malls ON = BRML3

Ações PN (4 ou 5)

Ações PN, ou preferenciais, são ações que te dão preferência na distribuição de dividendos.

Por lei, as empresas são obrigadas a distribuir no mínimo 25% do seu lucro líquido aos acionistas.

Você literalmente será pago por ter ações da empresa caso ela vá bem. 

A lei também determina que os acionistas que possuem papeis PN recebam no mínimo 10% a mais dos dividendos em relação aos detentores de ações ON.

As ações PN são representadas pelos números 4 e 5.

Petrobrás PN = PETR4

Vale PN = VALE5

Livraria Saraiva PN = SLED4

#6 O que faz uma ação subir?

Se você chegou até aqui, parabéns. Foram mais de 3000 mil palavras lidas.

É exatamente essa ambição por entender como funciona esse mundo que te fará ter sucesso, podendo obter até 400% ao ano de rendimento.

Os 5 passos acima, foram fundamentais para que você realmente aprendesse a operar no mercado de ações.

Porém ainda falta algo…

Como escolher a ação certa?

Como saber se ela irá subir, aumentando seu investimento, ou cair, fazendo você perder dinheiro?

A verdade é que não há uma resposta exata para essas perguntas.

É isso que faz o mercado de ações ser tão interessante e possibilitar retornos tão altos.

No entanto, não é preciso ser um gênio para enxergar o potencial de certas ações.

Dispendendo apenas alguns dias de estudo, você poderá fazer com que um investimento pequeno de R$1.000 se transforme em mais de R$15.000 em apenas 3 dias.

Basicamente, o que você precisa fazer é estudar um pouco sobre os dois principais métodos de analisar ações.

Depois disso, parecerá óbvio para você quais ações irão subir e cair.

Existem duas escolas famosas que se dedicam a analisar ações:

  • Escola Grafista/Técnica
Foto: divulgação edufinance.com.br
Foto: divulgação edufinance.com.br
  • Escola Fundamentalista

As escolas divergem bastante quanto ao método de analisar as ações.

Enquanto uma busca resultados de curto prazo, em troca de maior risco, a outra aposta no longo prazo, diluindo o potencial de risco dos investidores.

Escola Grafista/Técnica

Essa é uma das mais populares formas de se analisar ações.

É muito comum encontrar na internet os chamados “Day Traders”, os quais operam exclusivamente utilizando esta técnica.

Seu objetivo é obter ganhos de curto e médio prazo.

Os Traders costumam comprar e vender ações diariamente, o que os força a gastar um tempo consideravelmente maior com essa atividade.

Essa escola busca encontrar nos gráficos alguns padrões de comportamento humano na compra e venda de ações.

Suas principais ferramentas são:

  • Suporte e Resistências
  • LTA (linha de tendência de alta)
  • LTB (linha de tendência de baixa)
  • Médias Móveis
  • IFR (índice de força relativa)
  • Volume

Escola Fundamentalista

A escola fundamentalista é famosa por ter adeptos bilionários, sendo Warren Buffett o mais famoso deles.

Apesar de ser a técnica de análise preferida das pessoas mais ricas do mundo, ela não é muito popular no Brasil.

Isso porque seu foco é no longo prazo.

A análise é baseada nos dados financeiros da companhia, além de observar o bom funcionamento e o setor no qual a mesma está inserida.

A escola fundamentalista busca identificar o valor verdadeiro da empresa, o qual pode ser bem maior do que o preço pelo qual ela está sendo negociada na bolsa.

Dessa forma, os investidores compram ações que estão subvalorizadas e se beneficiam quando a companhia reporta bons resultados (momento em que ocorre uma euforia e todos querem comprar as ações da companhia).

Seus pilares são:

  • Análise de Balanço Patrimonial
  • Análise do Demonstrativo de Resultados
  • Análise Corporativa
  • Macro e microeconômica

#7 Não espere ter tempo para começar a investir

Não se engane, você nunca terá mais tempo do que tem hoje.

Só há uma opção para quem quer ter rendimentos incríveis.

Uma vez que você aprenda como fazer isso, sua vida mudará completamente.

Você se verá livre de ter que trabalhar para outras pessoas, pois o seu dinheiro trabalhará para você.

E você não precisa ter muito dinheiro ou ganhar bem para começar a investir em ações.

Você que quer investir na bolsa de valores, tem uma ótima fonte de pesquisa na edufinance.com.br

Fonte: http:\\www.edufinance.com.br by Leandro Siqueira

Tags
Mostrar Mais

Carlos Alberto Alonso

Nascido em São Paulo-SP - Brasil. Formado em Economia pelas FMU, tendo atuado em empresas de 1ª linha como: The First National Bank of Boston, Grupo Bunge Born, Valmet Oi, Citrosuco Paulista S/A, Brahma e AmBev, atualmente atuando como trader no mercado forex e criptomoedas. 

Artigos Relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios